O Que é Arte Tradicional e a sua Importância para o Pintor e para a Sociedade

[VOCÊ GOSTARIA DE APRENDER PINTURA TRADICIONAL? GUERRA ENSINA UM CURSO DE INTRODUÇÃO À PINTURA TRADICIONAL, DISPONÍVEL NA UDEMY. CLIQUE AQUI PARA IR AO SITE!] O que é Arte Tradicional?

Arte tradicional é a arte que é parte de uma cultura de certo grupo de pessoas, com habilidades e conhecimentos passados através de gerações, de mestres a aprendizes. Mas, no meu meio, o meio acadêmico, quando falamos em Arte Tradicional, quase sempre nos referimos ao que chamamos de Arte Clássica: as idéias surgidas com o Renascimento e o Iluminismo acerca do que a arte deve representar para a sociedade. Idéias surgidas no Renascimento, mas não limitadas a este período de tempo. Estas idéias e conceitos perduraram até o século XIX, e estes conceitos estão diretamente ligados ao Academicismo. Academicismo é o método de ensino artístico profissionalizante, concebido, formalizado e ministrado pelas academias de arte europeias. Há, no academicismo, a valorização de mestres consagrados, veneração à tradição clássica, e a adoção de conceitos formulados coletivamente, que possuíam, além de um caráter estético, também uma origem e propósito éticos. E é desses conceitos que me proponho a falar. Pelo menos dos conceitos que eu entendo e acredito. Mas, resumindo, o termo Arte Clássica refere-se, basicamente, a todo tipo de arte que existiu antes da Arte Moderna, do Movimento Modernista.

Verdades artísticas que podem ter sido incontestáveis no passado, são, hoje, mergulhadas em uma batalha ideológica feroz, e, a menos que uma defesa seja feita para suas persistências através dos séculos até os dias de hoje, o mercado vai alegremente deixá-las de lado. As ‘verdades artísticas’ vêm mudando. Nossa idéia sobre o que é arte vem mudando. Mas, de todo jeito, sendo a arte algo feito para nos fazer pensar e refletir, como já comentei anteriormente, trago a seguinte questão: As gerações do século XXI são particularmente vulneráveis às tentações e distrações que permeiam nosso cotidiano, sejam propagandas de televisão ou as seduções ​​da internet, ou outras. Há pouco espaço deixado para reflexão, e os "pontos de descanso" em que encontramos consolo são cada vez mais difíceis de encontrar. E, num mundo onde as pessoas vivem suas vidas em infinita correria, e uma pessoa pode não achar mais tempo para aproveitar sua vida como queira, precisamos parar para pensar. Precisamos, mais do que nunca, deste tempo para sentir e refletir. Precisamos voltar a entender o que é a beleza, e como podemos trazer ela para as nossas vidas. Da mesma forma que assistimos um filme para “desopilar”, a arte (ou outros tipo de arte, já que o cinema é também arte) pode nos trazer a chance de fazer o mesmo, refletindo sobre pontos e tópicos importantes para a sociedade e nossas vidas atuais. Refletindo, talvez, sobre como podemos viver melhor.

Arte importa porque ela nos fornece a oportunidade de parar a marcha do tempo, para estar na frente de nós mesmos e reconhecer o que nos tornamos. E a grande Arte é projetada para expressar e lidar com as emoções autênticas, mas para a maior autoridade do mundo sobre questões estéticas, Professor Roger Scruton, muito do trabalho produzido nas últimas décadas está aquém deste padrão incontroverso (amplamente aceito e fácil de ser entendido). No século XX, os movimentos modernistas predominaram sobre a consciência global para as artes. Diferentes idéias sobre beleza, ou talvez sobre a utilidade da beleza nas artes, vieram à tona. Mas bem, a maneira que "as coisas aparecem para nós" epistemologicamente pode mudar radicalmente a forma como vemos o mundo e, assim, o grau em que valorizamos o que nos é apresentado.

Os artistas de hoje parecem estar mais preocupados em fazer algo que seja original por si mesmo e não com algo com que eles se relacionem. Outrora, em suas paixões e afetos, através de seus triunfos e tragédias, os grandes artistas capturavam a condição humana em sua forma bruta e não diluída. Mas virtudes da arte clássica, incluindo a habilidade de pintar, têm sido negligenciadas nas últimas décadas.

Mas por que a arte clássica é importante? Que papel tem a Arte Clássica em um mundo que, aparentemente, passou-a para trás, deixando-a no passado?

Podemos estender o questionamento, ainda, indagando: qual é a diferença entre a pintura realista e uma fotografia? Se já temos fotografia, por que precisamos de pintura realista?

Eu, Rafael, reafirmo o que disse o pintor suíço Alan Lawson, que a fotografia captura instantaneamente um conjunto de valores de cor, mas o pintor deve decidir por si mesmo o que será enfatizado ou neutralizado, durante todo o tempo adaptando a obra à mudanças de luzes, ou mudando tons. Enquanto que, por exemplo me